quarta-feira, junho 28, 2006

Agora que estou de férias tenho me dedicado mais à leitura pois é uma actividade muito interessante apesar de algumas pessoas acharem aborrecido. Nos meus anos recebi um livro muito giro que se chama "O principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry que me foi oferecido pelo meu primo Carlos. Como gostei muito do livro vou deixar aqui pequenas partes para lerem e se deixarem levar por palavras tão lindas e tão sinceras. Por agora vou deixar aqui um pequeno resumo para ficarem com uma ideia do livro.
Esta é a história do menino que vivia num asteróide, com os seus vulcões em miniatura e a sua linda rosa vermelha, e usava um longo cachecol a flutuar ao vento. Um dia ele resolveu viajar e visitou a Terra onde encontrou um grande amigo, que depois contou a história desse menino. Esta história revela um segredo muito simples e ao mesmo tempo muito sábio: é que as coisas mais importantes são muitas vezes invisíveis para os olhos- só com o coração é que podemos vê--las!
Quando o principezinho estava na Terra encontrou uma rapoza e pediu-lhe para ir brincar com ele, mas esta disse que não podia porque ainda ninguém a tinha cativado.
-O que é cativar? - perguntou o principezinho.
"-É uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a rapoza. - Quer dizer «criar laços»...
-Criar laços?
-Sim, laços - disse a rapoza. - Ora vê: por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão uma rapoza igual a cem mil outras rapozas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...
- Só conhecemos o que cativamos - disse a rapoza. - Os homens deixaram de ter tempo para conhecer o que quer que seja. Compram as coisas já feitas aos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens deixaram de ter amigos.

...
O que é um ritual? - disse o principezinho.
-Também é uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a rapoza. - É o que torna um dia diferente dos outros dias e uma hora diferente das outras horas. Por exemplo, os meus caçadores têm um ritual. À quinta-feira, vão dançar com as raparigas da aldeia. Por isso à quinta-feira é um dia maravilhoso. Eu posso ir passear às vinhas. Se os caçadores fossem dançar num dia qualquer, os dias eram todos iguais uns aos outros e eu não tinha férias...
Como podem ver é um livro magnifico que nos mostra coisas que muitas vezes estão esquecidas ou que nem sequer chegamos a pensar nelas porque não temos tempo ou porque não queremos saber. Este livro não é só para crianças, mas sim para qualquer pessoa independentemente da sua idade, alias ele foi dedicado a uma pessoa bem crescida porque todos nos um dia já fomos crianças...

3 Comments:

Blogger maktub said...

O Princepezinho vale mesmo a pena .. os seus ensinamentos servir-te-ao pra muita coisa ao longo da tua vida ...
bjs grandes

11:59 da tarde  
Blogger serenidade said...

Todos temos uma criança dentro de nós que deveriamos deixar expressar-se, mas a maior parte das vezes reprimimo-la e é por isso que o adultó é, muitas vezes, infeliz, frustado...
Tiveste um bonito presente.
Além de que tens um hobbie muito nobre: a leitura.
Beijos saudosos.
:):):)

7:39 da tarde  
Anonymous jesus.salva said...

concordo plenamente... só uma observação: "rapoza" está mal escrito... escreve-se "rapoSa"

tirando isso escreves muito bem

3:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home