segunda-feira, março 29, 2010

Vivo de Momentos...

O ontem é tão remoto e distante
Que sinto o vazio de quem já não sente,
De quem já não tem na alma presente
Tudo o que um dia foi vida.

Já não existe o êxtase e a alegria do que passou
Nao partilho os sonhos e objectivos que tracei...
Agora apenas sinto a ausência daquilo que perdi.

Hoje vivo de momentos...
De pedacinhos de agora que me enchem a alma
De períodos de entrega e efemeridade
Que completam todo o meu ser.

Hoje, acordo como se o ontem fosse história
E o amanhã uma incógnita constante.
Por isso, hoje vivo com toda a intensidade
De quem acredita que a vida é pura fugacidade...

quinta-feira, novembro 19, 2009



Passou a diligência pela estrada, e foi-se;
E a estrada não ficou mais bela, nem sequer mais feia.
Assim é a acção humana pelo mundo fora.
Nada tiramos e nada pomos; passamos e esquecemos;
E o sol é sempre pontual todos os dias.


Alberto Caeiro

quinta-feira, agosto 20, 2009

Escolhas...
As férias vão passando a um ritmo desmedido mas às vezes sinto que ainda estou naquela primeira semana cheia de planos, objectivos e com a garra de quem tem dois meses de férias pela frente. Talvez não consiga fazer tudo aquilo que tenho em mente, como de costume, mas vontade não me falta. Quero pintar o quarto, mudar a decoração, quero ver coisas novas e diferentes. Se há coisa que me chateia é rotina e ultimamente estou farta da rotina visual. Às vezes não sei se de facto estou cansada de ver o que me rodeia ou de me ver a mim própria, contudo acredito que seja a mistura das duas coisas. Estes últimos dias têm sido um bocado complicados, digamos que aos poucos vamos chegando àquela fase da vida em que temos que tomar decisões que não só são determinantes para o nosso futuro como também mexem muito com aquelas pessoas que nos rodeiam e que amamos. Não sei se daqui a uns tempos me vou arrepender, mas caso aconteça não tenho dúvida de que é preferível sentir arrependimento daquilo que fiz, do que daquilo que não tive coragem de fazer. Acima de tudo vai ser uma nova etapa, uma experiência, uma mudnça que espero dar certo.
A vida é um percurso incerto, cheia de caminhos diferentes e eu saí da minha estrada para virar na próxima rua à direita. Espero que esta viragem repentina não me reserve um acidente no percurso ou uma multa pelo correio uma semana depois.

segunda-feira, junho 15, 2009

Um lugar na Terra



Li há pouco tempo uma das várias obras de Susanna Tamaro, Responde-me. Uma vez que já conhecia a escritora e outras obras suas, achei o título bastante sugestivo, talvez porque tenho 17 anos e ainda estou na altura dos “porquês” , esperando sempre uma boa resposta para tudo. Muitas vezes os títulos enganam-nos redondamente e no final a desilusão estampada no nosso rosto é evidente, notando-se que o livro ficou muito aquém das nossas expectativas. No entanto, posso dizer que este não foi o caso, aliás, muito pelo contrário, fui totalmente surpreendida. Tendo em conta a fase crítica da adolescência esta leitura veio na hora exacta, no momento mais oportuno de todos. As três histórias têm um elo muito forte que as ligam de uma forma quase fatal. A educação, o ambiente em que crescemos, a família e a época são factores que condicionam totalmente aquilo que nós somos.
Cheguei à última página, fechei o livro, olhei a capa e perguntei, “Quem podemos culpar pelo destino destas pessoas?”. Reflecti durante algum tempo e não cheguei a conclusões. Que culpa podemos atribuir a uma pessoa pela família que tem, pelo meio onde cresce a cada dia e pelos ideais que lhe impingem desde o momento em que nasce? Que posso eu fazer para fugir aquilo que, à partida, me está destinado mesmo antes de nascer? Dizem que todos nascemos livres com os mesmos direitos e com dignidade, mas eu não concordo. Se logo à partida eu não escolho onde nasço e de quem nasço eu já não sou livre. Mas no meio de todo este palavreado bonito que nos ensinam é também verdade que podemos não escolher o nosso passado e aquilo que nos acontece, mas somos sempre responsáveis de alguma forma pela construção do nosso futuro. Sim digo de alguma forma, porque aprendi que muitas vezes é impossível fugir. Se eu nascer e crescer rodeada de pobreza e miséria a probabilidade de acabar enterrada nela é muito grande. Se eu crescer vítima de maus tratos físicos e psicológicos, afastada de qualquer tipo de amor eu nunca poderei construir um lar. Porque se eu não sei o que é o amor, é como se não existisse, e se não existe não se pode dar.
Acima de tudo, somos o reflexo daquilo em que os outros nos tornaram, naquilo que nos ensinaram a ser. Tudo bem que temos um carácter e uma personalidade que de uma forma positiva ou negativa encara aquilo que o exterior nos dá a conhecer, mas a maior parte das vezes estes são sufocado por outros factores que se sobrepõem e quando o meio exterior é demasiado negativo tudo o que há de bom em ti parece que se desvanece e raramente consegue vencer. Aprendi que não é preciso morrer para estar no céu ou no inferno. A Terra dá-nos a provar estas duas realidades de uma forma bastante convincente. E a questão surge outra vez, “Como se pode sair do inferno, se não se souber sequer que existe algo para lá deste?” Não se sai, pura e simplesmente não se sai. No entanto quando se sabe que há muito mais, não entendo porque se fica estagnado, porque não se age. Admiro quem contraria o seu destino fatal e agarra todas as pedras do caminho para edificar o seu enorme castelo, no entanto não julgo quem fica soterrado no meio de tanto calhau.

terça-feira, abril 07, 2009

Ainda te lembras?!...


Recordo os dias que passava contigo, as aulas descontraídas da manhã e os longos períodos de intervalo. Tudo era tão simples, tão puro, tão genuíno (um bocadinho diferente do queijo dos Açores) e nós entregávamo-nos de corpo e alma à vida que corria. Não éramos rebeldes ou irrequietas, éramos simplesmente umas miúdas muito unidas mas também muito diferentes. Como tu costumas dizer, eu sou preta e tu és branca. Mas o que é que isso importava?! Havia diferenças de personalidade tão mais relevantes e mesmo assim nós éramos inseparáveis. Eu era mais tímida, mais medrosa e acho que o teu estilo de “Maria rapaz” não combinava muito com a tua capa da Barbie. Desde pequena que sou muito observadora e tu não me escapaste. Sinto falta das brincadeiras, das preocupações enormes (que eram ver o episódio do Pokemon para no dia seguinte comentar com os colegas), mas acima de tudo sinto muita, muita falta de mim, de nós. Às vezes fecho os olhos e ainda nos vejo a jogar à bola e a acertar na cabeça da D. Fátima que ia toda pomposa, como que a desfilar até à sala dos professores. Ainda te lembras?! Se calhar não. Hoje parece um bocado estranho, mas a verdade é que nos divertíamos imenso com um reles jogo de futebol em que mal tocávamos na bola. Mas que tem?! Agora os putos deliram com um jogo de CS ou CTR (desculpa mas tinha mesmo que referir o CTR…já me proporcionou alguns momentos de riso).
Quando olho para trás acho mesmo que a minha vida de agora é uma autêntica fantochada. É certo que os joelhos esmurrados, a roupa suja de terra e tintas, a pastilha elástica colada ao cabelo e os gritinhos por causa do dente que está a abanar já não existem mais. Mas isso era mau?! Claro que não era, contudo, para uma miúda estas são as grandes preocupações dos seus dias. O que é que interessava se o IVA tinha aumentado ou se tinham fechado a fábrica de confecções da senhora Clotilde?! Logo que chegasse a casa e a minha mãe tivesse bifes e batatas fritas para o jantar, o dia estava perfeito. Tinham que ser era realmente fritas e não cozidas ou assadas.
Voltei ao jardim, voltei à primária. Procurei por toda a parte, vasculhei tudo mas não me encontrei, não te encontrei… então parei e comecei a chorar.

quinta-feira, março 19, 2009

Especialmente para ti!



Para ti, que me pegavas na palma da tua mão quando era pequenina, assim como quem pega no seu mundo frágil e desprotegido. Para ti que ouviste as minhas primeiras palavras e me ensinaste a cantarolar quase antes de saber falar. Para ti que me deste as palmadas no momento certo e que me ajudaram a ser tudo aquilo que eu sou hoje. Para ti, que quando me abraças és como um escudo que me protege de todos os medos e angustias tornando-me forte e segura, capaz tudo. Para ti que me dás todos os dias um bocadinho do teu ser e que me ensinas que não há nada mais valioso do que os ensinamentos que me podes transmitir. Para ti, que me mostras todos os dias o que é ter um pai, uma família, uma vida. Para ti que me guias nas minhas escolhas e decisões, que me abres os olhos quando estou no escuro e transmites toda a força que tens. Para ti que me invades com a tua música e me fazes subir aos vários palcos, proporcionando-me momentos únicos. Para ti, que amo com todo o meu ser e admiro como uma pequena criança admira o seu super herói favorito. Para ti... para que nunca te esqueças do quanto és importante para mim e que sem ti nada faz sentido.
Para ti pai, que honras este dia mais que qualquer outra pessoa....um enorme beijo desta filha que te ama muito!

terça-feira, março 17, 2009

Incapacidade!
Estou cansada de estar aqui, reprimida pelos meus medos, frustrações, incapacidades e fraquezas. Não sou o que esperam de mim, não passei nos testes, não cumpri os objectivos e ainda me dei ao luxo de desistir. Esperava muito da vida, acreditava que ela também esperava muito de mim e que todo o Universo conspirava para que tudo se realizasse. No entanto, a vida não esperou, o universo não conspirou e eu agora também não espero mais nada.
Se a dor nos torna fortes, talvez um dia venha a ser um calhau (se aguentar chegar até lá). Se no fim tudo corre bem, este ainda está muito longe de chegar.
Não consigo ser o que quero...vou tentar ser o que posso com todo o meu ser.

sexta-feira, março 13, 2009

Está Escuro!
Disperso nos momentos de silêncio, procuro respostas aos meus dilemas e afundo-me num mundo que não era o meu. Sim não era, mas ultimamente invade-me com uma frequência muito superior à desejada. Às vezes não há um motivo aparente para nos sentirmos mal, mas creio que já nem é esse o caso. Fui invadida por um espírito de derrota que penetrou todo o meu corpo e retirou toda a vitalidade, toda a força e energia que tive um dia. A minha própria presença é como um fardo que sou obrigada a suportar todos os dia e do qual é impossível livrar-me. Eu sei que o mundo não é cor-de-rosa e é um enorme choque quando descobrimos isso (um bocado pior do que quando se descobre que o Pai Natal não existe), mas só não queria que por vezes fosse tão escuro…

sábado, fevereiro 28, 2009

Trilhos

Percorro o trilho secreto em direcção ao desconhecido. Um caminho turbulento, incerto e irregular, onde me perco, caio e discreta e rapidamente procuro levantar-me. Não tenho medo do passo seguinte, pode ser errado claro, mas ainda me resta o outro pé para apoiar e corrigir os erros que vão surgindo. Quero sentir o chão que piso e a brisa que toca o meu rosto, quero sentir as lágrimas que correm e acompanhar o seu percurso pela minha face. Já nada mais importa, tudo se apagou e nem precisei fechar os olhos, tudo é um vazio cheio de restos do que fui um dia. Perco-me num silêncio ridículo e aparente… agora não vale a pena olhar para trás, não quero, não preciso e não lamento. Aceito esta passagem por um mundo obscuro e fútil onde não tenho nada a perder.

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Regresso?!


Muito tempo se passou e inevitavelmente imensas coisas aconteceram neste período de quase um ano. No fundo nunca deixei este espaço, acho que as coisas ficaram em “ banho Maria”, à espera de novas ideias, de mais vontade e acima de tudo mais dedicação.
Não sei se isto é um regresso, mas seja lá o que for deve-se em parte ao incentivo de um amigo e ao desejo de voltar a partilhar as experiencias e todas as situações marcantes de um caminho rotineiro.
É estranho olhar para todos os posts e pensar no quanto mudei, aprendi, cresci, mas no final de contas a essência permanece a mesma.

domingo, fevereiro 15, 2009

Declaro fim da greve por parte do blog Aprochega-te!

(desculpa não tive tempo para mais, mas uma vez que o prometido é devido cá está o post)




sexta-feira, abril 18, 2008

ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?


O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e bebesse.
-'Qual é o gosto?' - perguntou o Mestre.
-'Ruim' - disse o aprendiz.O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.Então o velho disse:
-'Beba um pouco dessa água'. Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:
-'Qual é o gosto?'
-'Bom!' disse o rapaz.-'Você sente o gosto do sal?' perguntou o Mestre.
-'Não' disse o jovem.O Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
-'A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.

Em outras palavras:' É deixar de Ser copo para tornar-se um Lago.'

sexta-feira, março 28, 2008

Dúvidas!


A certeza é agora incerteza
Aos poucos tudo se torna irreal
Será cansaço, fraqueza?!
É talvez um sentimento imortal
Algo que vem para ficar
Um sonho novo a esvoaçar.
Porquê sentir apenas as amarguras da vida?!
No fundo sabemos que tudo tem saída
Neste mundo ninguém é igual
E quando se perde aquele brilho
Procura-se alguém especial
Rapidamente desaparece todo o mal
Encontra-se um novo trilho.
Mas do nada surge a questão
E penso para mim mesma
"Devo ouvir o coração ou a razão?"
E volta a incerteza...
O coração vê tudo com beleza
A razão tira um pouco o brilho
Sinto-me meia perdida
Preciso mais que uma meiga expresão
O tempo me dará a certeza
Por enquanto dou asas à imaginação...


quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Para Reflectir!







"No reino dos fins, tudo tem um preço ou uma dignidade. Quando uma coisa tem um preço, pode pôr-se, em vez dela, qulaquer outra coisa como equivalente; mas quando uma coisa está acima de qualquer preço e, portanto, não permite equivalentes, então ela tem dignidade."



Immanuel Kant


Apesar de tudo o que acontece espero que ainda sejam muitas as coisas que tenham dignidade...

quinta-feira, janeiro 31, 2008

Algumas Maravilhas da Natureza e do Homem!



















































































sexta-feira, janeiro 18, 2008

Infelizmente nem todos os dias é Natal!!


Hoje ao passar por aqui resolvi deixar algo novo. Por vezes penso em acabar de vez com este espaço, mas nunca tenho coragem. Penso que já tem aqui um bocadinho de mim...
Mais um ano se passou e agora é altura de fazer planos e traçar metas para este novo ano que está a começar.
Este Natal foi especial e nada banal....:D e pela primeira vez o começo de um novo ano foi sentido com grande intensidade e espectativas. Nm país onde a pobreza toma conta da maioria da população a esperança no novo ano que chega é algo de arrepiante. Talvez a beleza infinita que os rodeia faça esquecer a dura vida que cada um leva. Mas será que é mesmo dura ou pouco basta para ser feliz?!!...
As férias no Brasil foram uma experiência fantástica que jamais esquecerei. Numa cidade como o Rio de Janeiro, com cerca de 8 milhões de habitantes, pode-se deparar com mundos totalmente opostos e o contacto com ambos é uma experiência formidável. Acho que grande parte da população leva bastante a sério a expressão, "vive cada dia como se fosse o último", e isso torna as pessoas alegres e felizes.
O contacto com outras pessoas e culturas diferentes permite-nos uma visão mais alargada do mundo, por isso considero viajar uma das coisas mais importantes para o crescimento e desenvolvimento da nossa alma.
Um feliz 2008 para todos...

quarta-feira, novembro 07, 2007

Antes que seja tarde!

"Amigo,
tu que choras uma angústia qualquer
e falas de coisas mansas como o luar
e paradas
como as águas de um lago adormecido, acorda!
Deixa de vez
as margens do regato solitário
onde te miras como se fosse a tua namorada.
Abandona o jardim sem flores desse país inventado
onde tu és o único habitante.
Deixa os desejos sem rumo
de barco ao deus-dará
e esse ar de renúncia às coisas do mundo.
Acorda, amigo, liberta-te dessa paz podre de milagre
que existe apenas na tua imaginação.
Abre os olhos e olha
abre os braços e luta!
Amigo, antes de a morte vir
nasce de uma vez para a vida."

Manuel da Fonseca

quinta-feira, outubro 04, 2007

O regresso à rotina!


O tempo de férias já lá vai e aquele termo um bocadinho detestável que é a rotina, voltou a entrar no meu vocabulário. Tudo mudou e aos poucos vou-me adaptando a esta nova realidade. A mudança de escola, a saída da escolaridade obrigatória, os novos colegas e professores, as novas disciplinas têm sido uma experiência interessante mas também um pouco cansativa. Os queridíssimos "tempos livres" são algo muito escasso por isso as vindas a net são muito raras. Pode-se quase dizer que tenho um horário de trabalhador...XD. Não queria terminar com o blog porque gosto deste espaço e já tenho um ciclo de amigos, mas sei que não vou poder postar com frequência.
Espero poder partilhar as várias experiências neste meu percurso e contar com o carinho dos meus queridos leitores.

Um óptimo fim de semana para todos!!

quarta-feira, agosto 22, 2007

Uma pequena lembrança de uma bela viagem!!



segunda-feira, julho 16, 2007

Como uma onda!


Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa, tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como mar
Num ir e vir infinito

Tudo o que se vê
Não é igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda, o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir a si mesmo
Agora há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar

Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa, tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como mar
Num ir e vir infinito

Tudo o que se vê
Não é igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda, o tempo todo
No mundo


Polo Norte

sexta-feira, junho 29, 2007

Quanto vale a vida?

"Depois de uma aula sobre o sentido da vida humana, a aluna aproxima-se do professor e pergunta-lhe:
- Professor, quanto vale a vida humana?
O professor ficou pensativo. Naquele momento passaram-lhe pela mente as questões clássicas (Donde venho? O que faço? Para onde vou? A vida humana acaba nesta terra? Existe o transcendente? Quem dá sentido à vida?). Após alguns momentos, retirou o anel que tinha no dedo, com uma pérola, entregou-o à aluna e disse-lhe:
- Vai perguntar às pessoas quanto vale o anel. Mas não o vendas. Depois de saberes as respostas, vem ter comigo.
A aluna encontrou uma senhora a vender cerejas e perguntou-lhe:
- Quanto me dá por este anel?
- Dou-te 10 quilos de cerejas, respondeu a senhora.
A seguir encontrou uma senhora que vendia uvas e perguntou-lhe:
- Quanto me dá por este anel?
- Dou-te 100 quilos de uvas.
Mais adiante encontrou uma ouriversaria. Entrou e perguntou:
- Quanto me dá por este anel?
- Fico com ele por 10.000 euros.
Entrou noutra ouriversaria. O ourives, ao examinar o anel, olhando por cima dos óculos, com uma expressão enigmática, disse à aluna:
- Este anel vale mesmo muito. Pode ter um valor incalculável.
Depois a aluna foi ter com o professor e entregou-lhe o anel. Este interpelou a aluna:
- Entendes agora quanto vale a vida humana?
- Não. Respondeu a aluna."

quarta-feira, junho 13, 2007

Após Um Ano...

Hoje apercebi-me que no dia 6 de Junho o meu blog fez um ano e fiquei admirada de como o tempo passa depressa. Na verdade acho que pareço uma velhinha a falar e isso assusta-me um bocadinho, mas o mais triste é que é verdade. Parei tudo aquilo que estava a fazer pois achei que a ocasião merecia um pequeno texto, apesar de ter os meus últimos neurónios esgotados lol. Fiz uma pequena reflexão do ano que passou e conclui que de um modo geral foi excelente. A partir de agora tudo vai ser diferente, uma nova etapa começa e eu não estou muito feliz com isso.
O 9º ano foi fantástico, a turma era excelente a relação com os professores era óptima e todos os momentos são agora guardados com muito carinho. Agora uma nova pagina da minha vida se abre e eu vou tentar preenche-la com novas experiências e escolhas. Sim pela primeira vez eu posso escolher, decidir em relação ao meu futuro. É estranho, mas sou responsável por qualquer decisão que tomar e tudo isto torna-nos maiores, mais fortes e confiantes. Acho que nem todos estão cientes da realidade, mas de um modo geral todos têm ambições, sonhos e objectivos quer seja a curto ou longo prazo. As lágrimas vão rolar, mas serão de alegria por um ano maravilhoso que ficará para sempre guardado no meu coração.

"Não chores por as coisas terem acabado, sorri porque elas existiram."

sábado, abril 28, 2007


Sabia que aqueles que parecem ser fortes de coração são realmente frageis e mais sentimentais?


Sabia que aqueles que ocupam o tempo a proteger os outros, são aqueles que realmente necessitam que alguém os proteja?


Sabia que as três coisas mais difíceis de dizer são:

Amo-te

Perdoa-me

Ajuda-me


Sabia que aqueles que se vestem de roxo, são mais seguros de si mesmos?


Sabia que aqueles que se vestem de amarelo, são os que disfrutam da sua beleza?


Sabia que aqueles que se vestem de preto, são aqueles que querem passar despercebidos e, geralmente necessitam da tua ajuda e compreensão?


Sabia que quando ajuda alguém, seu retorno vem em dobro?


Sabia que é mais fácil dizer o que sentimos por escrito do que pessoalmente? Mas tem mais valor quando fazemos pessoalmente.


Sabia que se pedir algo com fé seus desejos são realizados?


Sabia que pode fazer com que seus sonhos se tornem reais, como:
Amor, riqueza, saúde, se os pedir com fé. Se realmente já sabia, deveria estar surpreso e agradecido por tudo o que já recebeu.


Mas não acredite em tudo que disse até que possa prová-lo a si mesmo...

sábado, março 31, 2007



"Escreve. Seja uma carta, um diário ou umas notas enquanto falas ao telefone, mas escreve. Procura desnudar a tua alma por escrito, ainda que ninguém leia; ou, o que é pior, que alguém acabe lendo o que não querias. O simples acto de escrever ajuda-nos a organizar o pensamento e a ver com mais clareza o que nos rodeia. Um papel e uma caneta fazem milagres, curam dores, consolidam sonhos, levam e trazem a esperança perdida. As palavras têm poder."

Paulo Coelho (maktub)

quarta-feira, fevereiro 21, 2007


A vida são dois dias e o carnaval são três!




Após um longo período de ausência o dever chama-me para continuar um trabalho que não fazia sentido abandonar agora. Esta fugida repentina deve-se a vários factores tais como preguiça aguda, falta de tempo, de vontade, de assunto e até mesmo de suporte de trabalho...lol! Contudo agora que o Carnaval terminou já posso fazer um pequeno resumo de como este foi vivido por cá.
Apesar do Carnaval não ser uma festa muito importante por aqui, eu pessoalmente acho imensa piada se tudo for feito devidamente. Este ano juntamos um pequeno grupo de amigos e juntamo-nos a uma pequena festa que decorreu nas redondezas. Ao contrário do que estava à espera tudo foi muito agradável e diverti-me imenso. A música era excelente e o ambiente era tranquilo e descontraido ao contrário das discutecas que têm um ar sufocante e bastante pesado. Sendo uma festa de Carnaval, a maioria das pessoas estavam mascaradas e devo dizer que algumas foram bastante originais. Depois de horas a dançar, pular e cantar o cansaço apoderou-se um pouco de todos e aos poucos a sala ía ficando mais vazia. Foi uma noite bastante agradável em que a felicidade tomou conta de todos e a musica embalou-nos no seu ritmo alegre e contagiante.


quinta-feira, janeiro 11, 2007

Não há estrelas no céu!



Não há estrelas no céu a dourar o meu caminho,
Por mais amigos que tenha sinto-me sempre sozinho,
De que vale ter a chave de casa para entrar,
Ter uma nota no bolso pr'a cigarros e bilhar?

A Primavera da vida é bonita de viver,
Tão depressa o sol brilha como a seguir está a chover.
Para mim hoje é Janeiro, está um frio de rachar,
Parece que o mundo inteiro se uniu p'ra me tramar!

Passo horas no café, sem saber por onde ir,
Tudo à volta é tão feio, só me apetece fugir.
Vejo-me à noite ao espelho, o corpo sempre a mudar,
De manhã ouço o conselho que o velho tem pr'a me dar.

Vou por aí às escondidas, a espreitar às janelas,
Perdido nas avenidas e achado nas vielas.
Mãe, o meu primeiro amor foi um trapézio sem rede,
Sai da frente por favor, estou entre a espada e a parede.

Não vês como isto é duro, ser jovem não é um posto,
Ter de encarar o futuro com borbulhas no rosto.
Porque é que tudo é incerto, não pode ser sempre assim,
Se não fosse o Rock and Roll, o que seria de mim?

Rui Veloso

quinta-feira, dezembro 21, 2006


Mensagem de Natal

Natal, um tempo para avaliação
Para renovação
E reabastecimento de Deus
E seu infinito Amor.
Uma época para agradecer
Pelo amor e pela paz
Por tudo que semeamos
Justiça, fraternidade, união...
Alimentos da alma e do coração.
Que em sua vida, este Natal
Não seja feito apenas de cores e comidas
Luzes, prazeres e bebidas...
Que haja partilha e esperança
Sem o que será mera ilusão.
Que o Natal do Senhor
Seja de facto uma oportunidade para reflexão
Onde coloquemos a solidariedade como ideal
Para que em nenhuma mesa falte o pão
E em todos os corações reine o amor!
Um Feliz Natal!

(Walter Pereira Pimentel)

domingo, dezembro 17, 2006

Um Novo Dia!

Quando abro os olhos
Vejo em meu redor
Que este nosso mundo
Pode ser melhor

Como uma criança
Que traça o destino
Tenho a confiança
De um novo caminho

O mundo está louco
E não quer parar
Pra pensar um pouco
E recomeçar

Nasce um novo dia
Um dia que diz
Que este nosso mundo
Pode ser feliz

O tempo que passa
Em cada segundo
A vida é tão escassa
Que fica sem graça
O sol do meu mundo

A vida não pára
Ninguém vai ceder
E juntos podemos
Mudar o que temos
Sem tempo a perder

O sonho comanda
Esta nossa vida
Pra poder dar novo
Ponto de partida

Seguir sempre em frente
Esquecer o passado
Um mundo diferente
E renovado

Floribella

quarta-feira, dezembro 13, 2006


Ter Amigos!!

Cada vez mais me apercebo do quanto é importante ter amigos e do como eles preenchem os nossos dias e momentos felizes ou tristes. A amizade é um sentimento lindo que se transmite através de carinho, companhia, gestos de afecto etc. A cada dia que passa conheço melhor as pessoas que me rodeiam e sei perfeitamente os seus defeitos e qualidades para saber se quero ou não que façam parte do meu grupo de amizades, que é pequeno, mas óptimo. Talvez esteja relacionado com a idade, mas a necessidade de estar com amigos e de falar com eles torna-se maior a cada dia, mas penso que isso é bom. Pelo que observo e ouço, hoje em dia, ter um bom amigo que se identifique connosco é uma coisa muito rara, por isso dou muito valor e alegro-me imenso por conhecer pessoas fantásticas que fazem com que os meus dias sejam muito divertidos e risonhos.
Bem como era de prever, este post é dedicado a todos os meus amigos para que saibam o quanto gosto deles. Contudo não me posso esquecer dos meus amigos virtuais que também indirectamente contribuem para o meu ciclo de amizades.
Muitos beijinhos para todos!!

domingo, dezembro 10, 2006



Deixa que o Amor Arranhe

Ama,
Pois quando tu amas
Todos à tua volta amam contigo
e se não podes mudar o mundo
muda o teu coraçõa
e vais ver
que mais importante
que descobrires um novo planeta
é descobrires
o que está dentro de ti
sem te deixares cair redondo no chão
Na tua postura
Revelas o interior
nas tuas palavras manifestas
a liberdade
que te faz sentir melhor
que te torna maior
e descobrires o que está dentro de ti
sem te deixares cair redonda no chão
deixa que o amor arranhe
coisas boas no teu coração.

(Kyrios - CD "Depois")

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

Cecília Meireles

terça-feira, novembro 21, 2006







Receita de Natal

Prepara uma forma
Do tamanho do mundo

Barre com muito amor
Polvilhe, mesmo levemente,
Com fraternidade

Bata em separado,
Uma boa dose de amizade

Junte um sorriso de criança
Com flocos de ternura
E tolerância

Misture tudo na forma
Até que a massa fique
Consistente

Faça a cobertura
Com pedaços de Paz
Que conseguir reunir!

Leve a lume brando
Infinitamente

Ah! Não é necessário sal (mal)
Sirva-se em todo o lado
Todo o ano

É esta a minha
Receita de Natal

Moutinho, João

segunda-feira, novembro 13, 2006

Eu Sei

Se eu voar sem saber onde vou
Se eu andar sem conhecer quem sou
Se eu falar e a voz soar com a manhã
Eu sei...

Se eu beber dessa luz que apaga
A noite em mim
E se um dia eu disser
Que já não quero estar aqui
Só Deus sabe o que virá
Só Deus sabe o que será
Não há outro que conhece
Tudo o que acontece em mim.

Se a tristeza é mais profunda que a dor
Se este dia já não tem sabor
E no pensar que tudo isto já pensei
Eu sei...

Se eu beber dessa luz que apaga
A noite em mim
E se um dia eu disser
Que já não quero estar aqui
Na incerteza de saber
O que fazer, o que querer
Mesmo sem nunca pensar
Que um dia o vá expressar
Não há outro que conhece
Tudo o que acontece em mim.

Sara Tavares

quarta-feira, novembro 08, 2006


De volta!!

Voltei, não a 100% mas voltei e espero que agora seja com mais assiduidade. "Os pesos nas costas" começam a diminuir e aos poucos vou endireitando e tudo volta ao normal.
A vida é assim, há dias bons, péssimos, maus, maravilhosos e temos que saber lidar com todos eles.
Bem mas falando de coisas bem melhores, porque a vida é feita de coisas muito boas também, não posso deixar de dizer que hoje é dia de festa, pelo menos cá em casa.
Quero desde já deixar um beijinho de Parabéns à minha irmã que completa 11 anos!!!
Uma idade difícil, principalmente quando se tem uma irmã mais velha com 14 anos...lol.
Espero que o dia de hoje seja muito agradável e que reserve grandes surpresas.

PARABÉNS:):):):):):):):)

quarta-feira, novembro 01, 2006

24 Horas Não Chegam!!


Ultimamente os dias têm sido bastante agitados e cansativos, o tempo é escasso e são raras as vezes que consigo fazer tudo o que tinha planeado para determinado dia. As preocupações são muitas e por vezes o tempo é pouco, então começo a entrar em "stress", a desanimar...
Penso que estou a precisar de férias, umas férias longe daqui em que nada me faça lembrar da minha rotina, em que tudo seja diferente. Não me agrada a ideia de que estou a tornar-me num robô igual a milhares que existem por aí, que tornam os seus dias numa rotina insuportável de aguentar.
Espero que tudo isto acabe rapidamente porque não é assim que quero levar os meus dias que são tão preciosos, pois cada dia que passa é menos um.
Peço desculpa pela ausência, mas por enquanto vai ser assim, infelizmente há coisas mais importantes a fazer e só quando me desembaraçar delas é que vou poder ser mais assídua.
Não sei quando volto, nem quando vou poder passar nos vossos cantinhos, mas espero que seja em breve porque adoro fazê-lo.
Até lá espero que fiquem bem...

quinta-feira, outubro 26, 2006



As palavras são boas. As palavras são más. As palavras ofendem. As palavras pedem desculpa. As palavras queimam. As palavras acariciam. As palavras são dadas, trocadas, oferecidas, vendidas e inventadas. As palavras estão ausentes. Algumas palavras sugam-nos, não nos largam: são como carraças: vêm nos livros, nos jornais, nos «slogans» publicitários, nas legendas dos filmes, nas cartas e nos cartazes. As palavras aconselham, sugerem, insinuam, ordenam, impõem, segregam, eliminam. São melífluas ou azedas. O mundo gira sobre palavras lubrificadas com óleo de paciência. Os cérebros estão cheios de palavras que vivem em boa paz com as suas contrárias e inimigas. Por isso as pessoas fazem o contrário do que pensam, julgando pensar o que fazem. Há muitas palavras.

José Saramago

sexta-feira, outubro 20, 2006

Falta de ...

Os dias foram longos e pesados, assim como um grande período de Inverno que demora uma eternidade a passar. A mente começa a ficar cansada e todos os pensamentos se dispersam como se tudo quisesse sair ao mesmo tempo.
Aos poucos o corpo começa a ceder e por mais força que faça para que isso não aconteça, o sono e o cansaço apoderam-se de mim e torna-se impossível resistir. Porém agora tude se começa a recompor aos poucos, foi apenas uma semana difícil e cansativa, mas nada que umas horas de sono não cure.
Desde já peço desculpas por esta ausência um pouco prolongada, mas o tempo tem sido escasso e a preguiça enorme.

Um óptimo fim-de-semana para todos!!

sexta-feira, outubro 13, 2006


Como não me surgiu nada melhor deixo-vos com esta linda imagem e mensagem, para que tenham um óptimo fim de semana.

sexta-feira, outubro 06, 2006


Para Reflectir!!

"Querida mãe, Querido pai,
Então que tal? Não. Não vou começar assim. O trocadilho com a música dos Rio Grande talvez condiga com o meu estado de espírito actual de alegria e de alívio pela decisão tomada, mas sei que quando encontrarem e lerem esta carta o vosso sentimento será de tristeza, de perda e desespero. Não vem portanto a propósito.

Querida Mãe, Querido Pai,
Demorará decerto algum tempo até estranharem a minha ausência, tão habituados que estão aos meus súbitos desaparecimentos, com os amigos ou sozinho, aqui, para a quinta ou, como ultimamente, para lugares recônditos dos quais nunca vos falei mas que são tão piturescos e bonitos que dariam bem para um livro daqueles que se oferece aos amigos em ocasiões especiais.
Desta vez é a sério. Chega de mentiras, de encobrimentos, de mistificação. De vos olhar nos olhos e dizer uma coisa em que saiba não estarem a acreditar e em que os Pais saibam que eu sabia que tudo não passava de um teatro, de um código, de um embuste.
Durante anos fiz-vos a vida negra. Foi assim, não é preciso dourar a pílula. Desta vez, não. Sei que vos dei os piores pesadelos, as horas mais tristes, o repúdio dos amigos, o isolamento social e, machadas após machadas, roubei-vos, para além de dinheiro e objectos, a vossa vida própria e a vossa vida de casal.
Espero que passados os momentos amargos que certamente se seguirão, o pai e a mãe encontrem a tranquilidade e o sossego que merecem.
Fiquem conscientes de que tentaram tudo, os tratamentos, as comunidades, as mudanças de vida, tudo o que vem nos manuais e nos saberes médicos. Eu é que não consegui. Foi sempre mais forte que a minha vontade. E quando os psicólogos e psiquiatras me fizeram regressar quase ao útero materno e abriram os olhos para as hipotéticas causas de tudo isto, mesmo quando consegui ser espectador e analisar o "filme da minha vida", nunca consegui regressar e encontrar nas pessoas, nas coisas e nos sítios a força que me falta para sair. Não foram os dealers que me melgaram, nem as más companhias que me cegaram. Fui eu que não consegui. Só isso.
Dentro de alguns instantes irei fazer o que decidi. Não vou dizer que vou dar mais um chuto, meter o produto, fazer uma tripe ou outra coisa qualquer. Não. Chega de sofismas, de enganos. O que vou fazer é injectar nas minhas veias um produto tóxico, em quantidades letais. É pura e simplesmente isto. E se ser-se advogado, juiz e carrasco em causa própria pode parecer no mínimo estranho, no meio de tanta anomalia não é mais do que a gota de água no rio.
O Douro está lindo nesta fim de tarde de Setembro. As vindimas já terminaram... Ah!, os caidores estiveram cá mas esqueceram-se da empena junto ao meu quarto, aqui no sotão. Lembre-lhes, fica feio, para quem vê desta janela.
Querida Mãe, Querido Pai então que tal... não, não irei aí pelo Natal. Um abraço. Um beijo. Um grande beijo. E uma enorme saudade por não ter conseguido que as coisas fossem diferentes do que foram. Mas a imensa certeza de que, pela primeira vez desde há muito tempo, sou senhor do meu próprio Tempo do meu próprio Destino. Não será esse, afinal, um previlégio dos deuses?

Do vosso filho"

sexta-feira, setembro 29, 2006



Um dia assim!!!

Hoje ando meia à deriva
Sem saber para onde me virar
Olho para o vazio,
Espero o tempo passar
Não sei bem o que fazer
O dia parece apagado
Então olho o céu e fico a pensar
Em tudo que gira ao meu lado.
Porém fico estagnada
E tudo se passa na minha cabeça
Percebo que o mundo nunca pára
Embora às vezes não pareça
Quando dou por mim
Já está noite cerrada
Contudo ainda estou alí,
Sentada na calçada
E aí é que me apercebo
Que embora eu tenha estagnado
Tudo em volta sempre girou
Ninguém ainda parou, e
Num suspiro olho em meu lado.
Sobressaltada levantei-me
Tomei um rumo na vida
Então aí lembrei-me
Que embora me sinta perdida
Não posso parar o tempo,
Tenho que controlar o pensamento
E encontrar uma saída...

Saturno

sábado, setembro 23, 2006

Foi-me lançada a proposta de fazer a minha caracterização psicológica, mas não gostei muito da ideia porque acho difícil ter que falar de mim quando isso inclui qualidades e defeitos, mas principalmente porque não me sinto à vontade.
Agora começo a pensar de maneira diferente e talvez até seja divertido caracterizar-me, pois se eu não sou capaz, quem será?
Lanço desde já o desafio a todas as pessoas que lerem o meu post...

Eu sou a Sara e embora tenha apenas 14 anos penso que já sou bastante madura em relação a algumas raparigas da minha idade. Sou ajuizada e responsável, pelo menos é o que toda a gente diz :). Relaciono-me bem com as pessoas, talvez porque respeito a sua maneira de ser, logo que isso não interfira negativamente comigo. Ao contrário da maioria dos jovens adoro ler e também gosto bastante de escrever embora pense que não tenho muito jeito.
Tenho os meus ideais e nunca me deixo influênciar muito pelos outros, mas infelizmente agora isso acontece muito, raramente se gosta de alguma coisa que tenhámos sido nos próprios a descubrir a e saber apreciar. Não gosto de confusões, alías sou uma pessoa pacífica e bastante sonhadora, mas muito realista ao mesmo tempo.
Como não podia deixar de dizer, adoro música, penso que é o "pão nosso de cada dia" e não me estou a imaginar sem ela, mas também quem é que não gosta?!
Obviamente que não sou perfeita, alías tenho muitos defeitos como toda a gente, e um deles é que sou bastante implicante, adoro "pegar-me" com os outros principalmente quando descubro o seu ponto fraco, mas é claro que isto é só de vez em quando. Por vezes também sou bastante péssimista e por mais que tente mudar isso não é nada fácil, porque a boca consigo calar, porém a mente não consigo parar. Não sei se isto será efeito da idade mas também sou um pouco autoritária, como eu costumo dizer...é tão bom dar ordens:).
Uma das minhas paixões é viajar, é maravilhoso conhecer lugares novos totalmente diferentes ao que estamos acostumados a ver e para espanto de alguns adoro emoções fortes por isso gosto muito de andar em montanhas russas e de desportos radicais.
Como sou curiosa é muito bom conhecer pessoas novas, principalmente se tiverem experiências de vida diferentes, contudo não sou muito faladora, mas para compensar sou bastante observadora, porém nem toda a gente repara nisso. Para mim a vida é fascinante e cada dia aprendemos uma lição.
Bem acho que já estou a exagerar e a cansar-vos, por isso fico-me por aqui se não vou ter que acrescentar que sou muito aborrecida:):).

segunda-feira, setembro 18, 2006

Que Deus?

P.S:: Talvez nos momentos de revolta a raiva fala mais alto.

Quem quer que sejas, onde quer que estejas
Diz-me se é este o mundo que desejas
Homens rezam, acreditam, morrem por ti
Dizem que estás em todo o lado mas não sei se já te vi
Vejo tanta dor no mundo e pergunto-me se existes
Onde está a tua alegria neste mundo de homens tristes
Se ensinas o bem, porque é que somos maus por natureza?
Se tudo podes porque é que não vejo comida à minha mesa?
Perdoa-me as dúvidas, tenho que perguntar
Se sou teu filho e tu me amas, porque é que me fazes chorar?
Ninguém tem a verdade o que sabemos são palpites
Se sangue é derramado em teu nome é porque permites?
Se me destes olhos porque é que não vejo nada?
Se sou feito à tua imagem porque é que durmo na calçada?
Será que pedir a paz entre os homens é pedir de mais?
Porque é que sou descriminado se somos todos iguais?

Porquê que os homens se comportam como irracionais?
Porquê que guerras, doenças matam cada vez mais?
Porquê que a paz não passa de ilusão?
Como pode o Homem amar com armas na mão? Porquê?
Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
E se escolher o meu caminho, será que me aceitas?
Quem és tu? Onde estás? O que fazes? Não sei
Eu acredito é na Paz e no Amor

Por favor não deixes o mal entrar no meu coração
Dou por mim a chamar o teu nome em horas de aflição
Mas tens tantos nomes, és Rei de tantos tronos
E se o Homem nasce livre porque é que alguns são donos?
Quem inventou o ódio, quem foi que inventou a guerra?
Ás vezes acho que o inferno é um lugar aqui na Terra
Não deixes as crianças sofrer pelos adultos
Os pecados são os mesmos o que conta são os cultos
Dizem que ensinaste o Homem a fazer o bem
Mas no livro que escreveste cada um só leu o que lhe convém
Passo noites em branco quase sem dormir a pensar
Tantas perguntas, tanta coisa por explicar
Interrogo-me, penso no destino que me deste
E tudo o que acontece é porque tu assim quiseste
Porque é que me pões de luto e me levas quem eu amo?
Será que essa é a justiça pela qual eu tanto reclamo?
Será que só percebemos quando chegar a nossa altura?
Se calhar desse lado está a felicidade mais pura
Mas se nada fiz, nada tenho a temer
A morte não me assusta o que assusta é a forma de morrer

Quanto mais tento aprender, mais sei que nada sei
Quanto mais chamo o teu nome menos entendo o que te chamei
Por mais respostas que tenha a dúvida é maior
Quero aprender com os meus defeitos, acordar um homem melhor
Respeito o meu próximo para que ele me respeite a mim
Penso na origem de tudo e penso como será o fim
A morte é o fim ou é um novo amanhecer?
Se é começar outra vez então já posso morrer

Boss Ac

sexta-feira, setembro 15, 2006

O Sonho

Pelo sonho é que vamos
Comovidos e mudos
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos
Pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
Que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
Com a mesma alegria,
Ao que desconhecemos
E ao que é do dia a dia.
Chegamos? Não chegamos?
- Partimos. Vamos. Somos.


Sebastião da Gama

terça-feira, setembro 12, 2006

A Música!!



Já não é a primeira vez que dou por mim a pensar do que seria a minha vida sem a música. Depois de um longo período de reflexão cheguei à conclusão de que não seria nada, pois não saberia viver sem ela.
Toda a minha vida está rodeada de música, alías a própria vida é uma música ás vezes triste outras vezes alegre, ás vezes calma, outras bem barulhenta, mas que está sempre a tocar. Cada música tem a sua beleza, a sua lição e há sempre aquela com que nos caracterizamos mais. Depois tem a música da nossa vida que é aquela que nos marcou muito um dia e que de certeza nunca esqueceremos.
Seja música rock, funk, mpb, popular, não importa pois todas elas são necessárias se não for mais para causar dores de cabeça ou polémica....... todas têm um lugar especial no coração!!!


sexta-feira, setembro 08, 2006

Amor que fica... é amor de Pipa!!!



Depois de algum tempo estou de volta para a minha vidinha. As férias foram espetaculares, mas como sempre souberam a pouco.
Tudo era maravilhoso até parecia irreal e no fundo eu sabia que não estava a viver a realidade daquela terra. À minha volta tudo parecia perfeito, porém fora das quatro paredes um mundo diferente e mais pobre acordava todos os dias. O povo era maravilhoso e apesar de serem bastante pobres eram muito felizes e alegres. Isto fez-me ter uma visão diferente do mundo. Para eles bastava ter um tecto para morar, comida e saúde e é claro uma parabolica..lool (isto é uma longa história).
Agora é com saudade que recordo todos os momentos passados naquele lindo lugar que ficará para sempre no meu coração.

quarta-feira, agosto 23, 2006

Dias agitados!!!

Estes próximos dias até sábado vão ser bastante agitados cá por casa, mas é por uma boa razão que ainda nem consigo acreditar que é verdade. Finalmente depois de tanto tempo em casa vou de férias para bem longe desta terrinha. Não quer dizer que não goste de estar aqui, muito pelo contrário, mas preciso de novos ares, de ver coisas diferentes, todos nós precisamos disso de vez em quando.
É a segunda vez que vou andar de avião, contudo é como se fosse a primeira porque quando andei era muito pequena e não me recordo. Estou com um bocadinho de receio, mas deve ser normal, penso que até vou gostar.
Tudo indica que vai ser uma viagem de sonho e espero não me desiludir, mas por vezes passa-me pela cabeça pensamentos negativos que logo tento afastar.
Uma data de sentimentos misturam-se dentro de mim como ansiedade, medo, euforia, alegria etc, mas vou tentando me controlar.
Até lá ainda tenho muita coisa para fazer e preparar por isso não sei se vou ter tempo de escrever mais alguma coisa, caso não volte boas férias para todos ou bom trabalho se for o caso.

quinta-feira, agosto 17, 2006


O Barbecue!


Após estes longos meses de chuva e frio, podemos finalmente convidar uns amigos e fazer um Barbecue:
Talvez porque há um certo risco envolvido na actividade, este é o único tipo de cozinha a que um homem se deve dedicar: "A cozinha fora de casa"... Contudo não é tarefa fácil. Quando um homem aceita fazer um barbecue põe-se em marcha uma cadeia de acções:

1º) A mulher compra os alimentos.

2º) A mulher faz a salada, prepara as batatas fritas, o arroz e as sobremesas.

3º) A mulher prepara a carne para ser cozinhada, tempera-a, coloca-a numa travessa e leva-a ao homem que já está à espera ao pé do grelhador, de cerveja fresca na mão.

4º) O homem coloca a carne na grelha.

5º) A mulher vai para dentro e põe a mesa.

6º) A mulher apercebe-se que o homem está com outros homens a contar anedotas e vem cá fora a correr a avisar que a carne se está a queimar.

7º) O homem aproveita e pede-lhe mais uma cervejinha fresquinha.

8º) A mulher vem cá fora trazer a cerveja e uma travessa.


É então que aparece a segunda parte importante do processo:


9º) O homem tira a carne da grelha e entrega-a à mulher.

10º) Depois de comerem a mulher tira a mesa, lava a louça, arruma a cozinha e lava a grelha.

11º) Toda a gente dá os parabéns ao homem pela fantástica refeição que ele preparou.

12º) O homem pergunta à mulher se lhe soube bem o tempo de folga que usufruiu.

Perante o ar chateado dela, conclui que há mulheres que nunca estão satisfeitas:):):)

terça-feira, agosto 15, 2006


Solidão

Estou só, perdida na escuridão
Envolvida num manto encarnado
Como um corvo sem abrigo
E um olhar enfeitiçado.
Estou só,
A chorar no meu caminho
Sozinha com o pensamento
De coração despedaçado
Mas ninguém vê meu sofrimento.
Peço auxilio e companhia
Desamparada e ao relento,
Fico só noite e dia
Ninguém me quer,
Ninguém me ama
Todos me acusam
Atiram-me na lama.
Agora velha e só
Meus dias acabaram
Deus! Leva-me contigo
Pois os outros nem reparam.

Saturno:):)

sexta-feira, agosto 11, 2006

Seu Tempo
Um menino com voz tímida e olhar de admiração, pergunta ao pai quando este chega do trabalho:
- Pai! Quanto é que o senhor ganha por hora?
O pai, num gesto severo, responde:
- Escuta aqui, meu filho! Isto nem a tua mãe sabe. Não me aborreças estou cansado.
Mas, o filho insiste:
- Mas, pai, por favor... diga quanto o senhor ganha por hora...
A reacção do pai foi menos severa, e respondeu:
- 3 euros por hora.
- Então pai, o senhor podia me emprestar 1 euro?
O pai irritado e a tratar o filho com brotalidade, respondeu:
- Então era esta a razão de querer saber quanto eu ganho? Vai mas é dormir e não me chateis. Estou cansado.
- Já era noite e quando o pai começou a pensar no que havia acontecido sentiu-se culpado.
Talvez quem sabe o filho precisasse comprar algo.
Querendo descarregar a sua consciência, foi até ao quarto do menino e , em voz baixa, perguntou:
- Filho...estás a dormir?
- Não, pai. Respondeu o menino sonolento.
- Olha aqui está o dinheiro que me pediste.
- Muito obrigado, pai!! ... disse o filho, levantando- se e retirando 2 euros de uma caixinha que estava sob a cama:
- Agora já completei! Tenho 3 euros! ...
- Poderia me dar agora uma hora do seu tempo?
* Se você não tem um filho pense em alguém que você ama*

quarta-feira, agosto 02, 2006

Algumas Frases Sábias


"Amigo não é aquele que te faz sorrir com uma mentira e sim aquele que te faz chorar com uma verdade."

"Você nunca recebe um desejo, sem também receber a capacidade de torná-lo realidade."

"É necessário muito pouco para provocar um sorriso e basta um sorriso para que tudo se torne possível."

"O amor se descobre através da prática de amar e não das palavras."

"O segredo de cada conquista é a coisa mais simples do mundo: saber o que fazer com ela."

"O amor é olhar as mesmas montanhas por ângulos diferentes."

"Viver quer dizer sonhar; ser sábio quer dizer sonhar com prazer."

"A vida é uma representação teatral: não se importe quanto dure, mas quanto bem se represente."

"A verdade é como o Sol, ao qual um eclipse pode escurecer, mas não extinguir."

"Sempre que estiveres triste, deixe dos olhos rolar uma lágrima, dos lábios um sorriso, do coração uma prece. Pois a suprema coragem da vida é sorrir quando se tem vontade de chorar."

"Não diga a Deus que você tem um grande problema, diga ao problema que você tem um grande Deus."

"Viver é desenhar sem borracha."

"O importante é termos a capacidade de sacrificar aquilo que somos para ser aquilo que podemos ser."
O Meu Jeito de Agir - Yasmin

Se alguém me perguntar
Porque é que sou assim
Me entrego sem pensar
Só para alguém gostar de mim
E achar que isso é solução
Confundir amor com uma paixão
Então vou te responder
Faça força pra entender
Preciso de atenção
Qualquer carinho me faz bem
Eu não sei lidar com a solidão
Tento enganar o meu coração

É assim que eu sei viver
Por isso eu inventei
Esse jeito de agir
Pra disfarçar o que senti
Eu tento me esconder
Pra ninguém perceber
E pergunta quem eu vi
O que há de errado em ser assim
Me responda se é errar
Tentar um dia apenas ser feliz

segunda-feira, julho 17, 2006


O mundo está cada vez mais perigoso e os riscos são cada vez maiores, e ela tem medo dos perigos que corre e sente-se frágil como uma criança pequenininha que necessita de toda a protecção e carinho. Talvez não seja medo dos riscos que corre fisicamente, o seu medo maior é dos ferimentos psicológicos a que está sujeita. O seu estado de espírito é irregular e ninguém consegue perceber porque ela esconde-o a todo o custo arrumando tudo por fora para não se aperceberem da bagunça que está por dentro. Sente-se baralhada, frágil à procura de um carinho que ainda não conseguiu encontrar, mas vai sorrindo, caminhando sem saber bem o que quer ou o que procura, e os dias vão passando.
O silêncio por vezes faz com que ela fique parada a pensar em tudo o que a deixa ainda mais confusa e cativada pelos mistérios da vida, porém pode também responder-lhe a muitas questões. A vida vai passando e ela continua à procura das peças que faltam para que cada dia seja melhor que o anterior, por vezes é dficil mas ela não desiste e continua sempre a lutar pela sua felicidade. Porque ela sabe que essa é a sua missão, ser feliz e tentar fazer feliz todos aqueles que a rodeiam e lhe querem bem. Se ela não conseguir cumpri-la vai se sentir muito mal porque não está a aproveitar a vida que lhe foi oferecida por Deus para usufruir dela da melhor maneira sem magoar ninguém mas também sem ser indiferente aos outros e às suas necessidades.
Foi Lindo, Foi Mágico...Foi Assim



No sábado passei uma noite super agradável, alias até arriscaria dizer que recompensou acordar só para viver aquelas horas maravilhosas. Esta euforia toda deve-se ao concerto do João Pedro Pais realizado no estádio do Marco de Canaveses que me deixou deslumbrada. Apesar de já admirar muito este artista ainda fiquei a gostar mais dele após o concerto devido à sua simplicidade e carinho com as pessoas. Ao ver aquela gente toda a saltar e a gritar o seu nome fez-me acreditar que nada é impossível porque o João Pedro Pais era orfão e isso não o impediu de ser um grande artista como é hoje. Se gostamos de uma coisa e temos talento, capacidade e força de vontade para o fazer, nada é impossível, só temos que ser fortes e acreditar sempre. Tenho pena que nem sempre as pessoas sejam recompensadas pelo seu talento como deviam e outras sejam aplaudidas sem ter qualquer talento, mas infelizmente hoje em dia as coisas ainda são assim.
Voltando ao concerto tenho apenas a dizer que ADOREI e tive a oportunidade de estar cara a cara com o cantor e compositor(o que faz com que ainda o admire mais) para lhe pedir um autografo e o cumprimentar. Foi muito engraçado aquele frente a frente porque mesmo sendo mais ou menos do seu tamanho senti-me muito pequena. Apesar de estar alí tão perto dele, ao mesmo tempo sentia-me muito longe e sabia que lá por o meu coração estar apertado e eu euforica, para ele não passava de uma rapariga igual a todas outras presentes pelo mesmo motivo que eu. Mas não importa, a vida é mesmo assim por isso não podemos nos deixar abater. Temos que nos orgulhar por existir pessoas como esta no nosso país e nos proporcionarem momentos agradáveis e muito divertidos.

quinta-feira, julho 13, 2006


O tempo foge-me das mãos e eu não me apercebo que cada vez passa mais depressa. Talvez seja porque me sinto feliz e isso é bom, mas por vezes o vazio e o silêncio penetra os meus dias e eles tornam-se longos e pesados. Por vezes olho-me no espelho e já não me conheço, tudo porque o tempo não deixa que eu me adapte ao que sou agora e muda-me no amanhã e tudo começa de novo.
A vida surpreende-me a cada dia que passa e há sempre coisas novas muito interessantes para descobrir, porém a preguiça tem dominado os meus dias e não me tem apetecido escrever nada. Por isso não se admirem se o blog parecer meio abandonado, mas isto é só uma fase que espero que passe depressa. Afinal tenho 14 anos por isso está tudo dito. Sinto-me dividida em duas, uma é ainda uma menina alegre e divertida que não quer saber de responsabilidades e vive os dias intensamente sem ter que pensar em mais nada, a outra é já uma rapariga crescida com responsabilidades e deveres a cumprir. Mas ambas são a mesma e por vezes é dificil coordenar as duas. Porém isto não passa de uma passagem para outra etapa e temos que passar pelos diferentes obstáculos que nos deparamos, assim como um jogo de computador.

quarta-feira, junho 28, 2006

Agora que estou de férias tenho me dedicado mais à leitura pois é uma actividade muito interessante apesar de algumas pessoas acharem aborrecido. Nos meus anos recebi um livro muito giro que se chama "O principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry que me foi oferecido pelo meu primo Carlos. Como gostei muito do livro vou deixar aqui pequenas partes para lerem e se deixarem levar por palavras tão lindas e tão sinceras. Por agora vou deixar aqui um pequeno resumo para ficarem com uma ideia do livro.
Esta é a história do menino que vivia num asteróide, com os seus vulcões em miniatura e a sua linda rosa vermelha, e usava um longo cachecol a flutuar ao vento. Um dia ele resolveu viajar e visitou a Terra onde encontrou um grande amigo, que depois contou a história desse menino. Esta história revela um segredo muito simples e ao mesmo tempo muito sábio: é que as coisas mais importantes são muitas vezes invisíveis para os olhos- só com o coração é que podemos vê--las!
Quando o principezinho estava na Terra encontrou uma rapoza e pediu-lhe para ir brincar com ele, mas esta disse que não podia porque ainda ninguém a tinha cativado.
-O que é cativar? - perguntou o principezinho.
"-É uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a rapoza. - Quer dizer «criar laços»...
-Criar laços?
-Sim, laços - disse a rapoza. - Ora vê: por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão uma rapoza igual a cem mil outras rapozas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...
- Só conhecemos o que cativamos - disse a rapoza. - Os homens deixaram de ter tempo para conhecer o que quer que seja. Compram as coisas já feitas aos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens deixaram de ter amigos.

...
O que é um ritual? - disse o principezinho.
-Também é uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a rapoza. - É o que torna um dia diferente dos outros dias e uma hora diferente das outras horas. Por exemplo, os meus caçadores têm um ritual. À quinta-feira, vão dançar com as raparigas da aldeia. Por isso à quinta-feira é um dia maravilhoso. Eu posso ir passear às vinhas. Se os caçadores fossem dançar num dia qualquer, os dias eram todos iguais uns aos outros e eu não tinha férias...
Como podem ver é um livro magnifico que nos mostra coisas que muitas vezes estão esquecidas ou que nem sequer chegamos a pensar nelas porque não temos tempo ou porque não queremos saber. Este livro não é só para crianças, mas sim para qualquer pessoa independentemente da sua idade, alias ele foi dedicado a uma pessoa bem crescida porque todos nos um dia já fomos crianças...

sexta-feira, junho 16, 2006

O verdadeiro beijo
Um beijo,
O que é um beijo
Se a mão não treme
Se o chão não foge
Se um rio não corre
E inunda o teu peito
Num sabor de embriagar?
É com certeza um beijo
O calor da tua boca
Que enlaça docemente
O meu corpo em chama
E a minha mente
Num suspiro de matar!
Mary

quarta-feira, junho 14, 2006

Faz da vida
Um sorriso
Escuta o que ela diz
Estás aqui
Ao nosso lado
Vê só como és feliz!
Quando a noite chegar
Canta-lhe uma canção
Não deixes nunca
O escuro
Amedrontar o teu coração!
Se algum dia
Ficares triste,
Não deixes!
Manda a tristeza embora.
Lembra-te que Deus existe
E está presente a toda a hora
Ouve o cantar do rouxinol
Vê as flores no campo
São lindas a crescer.
Faz delas as tua esperança
E nunca a deixes morrer!
Nunca desistas dos sonhos
Eles são chama
Que inflama o coração
E se algum dia sentires
Que esvanecem
Eu estou aqui
Para te dar a mão!

Mary (a minha mãe)