quinta-feira, novembro 19, 2009



Passou a diligência pela estrada, e foi-se;
E a estrada não ficou mais bela, nem sequer mais feia.
Assim é a acção humana pelo mundo fora.
Nada tiramos e nada pomos; passamos e esquecemos;
E o sol é sempre pontual todos os dias.


Alberto Caeiro

3 Comments:

Blogger Clarisse said...

3 ou 4 meses depois a Sara insere, finalmente, alguma coisa neste blog. Neste caso não se pode dizer que já estava às moscas. sim, porque as moscas já morreram todas!
E, quando há esperança para este pequeno blog meio esquecido pela dona, ela coloca o Alberto Caeiro!! PUMBAAAA!
Eu pessoalmente acho o Caeiro fixe, uma vez que dá para perceber o que ele diz. ah ah ah

"Que pensará isto de aquilo?
Nada pensa nada.
Terá a terra consciência das pedras e plantas que tem?
Se ela tiver, que a tenha...
Que me importa isso a mim?
Se eu pensasse nessas coisas,
Deixaria de ver a as árvores e as plantas
E deixava de ver a Terra,
Para ver só os meus pensamentos...
Entristecia e ficava às escuras.
E assim, sem pensar, tenho a Terra e o Céu."
Alberto Caeiro

Só para mostrar que também estou a estudar o homenzinho. unf
.l.

9:20 da tarde  
Blogger Serenidade said...

Tudo o que existe na natureza, tudo o que existe naturalmente é tão perfeito e surge o homem e introduz o ter mais imperfeito que poderia ser inventado - a imperfeição.

Serenos sorrisos

11:59 da tarde  
Blogger kris said...

Olá. Sou a Kris e passei só para conhecer o blog.
Um abraço e aguardo a tua visita

5:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home